SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS

Sinopses anteriores:

21 de outubro de 2014

O Globo


Manchete : Dilma passa Aécio, mas empate técnico continua

Datafolha mostra petista pela primeira vez à frente do tucano no 2º turno

Cientistas políticos atribuem mudança no quadro eleitoral à tática de desconstruir o adversário adotada pela presidente e pelo PT , com críticas à gestão dele no governo de Minas

Pela primeira vez no segundo turno, Dilma Rousseff (PT) apareceu à frente de Aécio Neves (PSDB) na pesquisa Datafolha divulgada ontem, embora os dois continuem em empate técnico . Dilma subiu de 43% para 46% em relação à pesquisa de 15 de outubro, enquanto Aécio caiu de 45% para 43%. Nos votos válidos, Dilma tem 52% e Aécio, 48%, também dentro da margem de erro. Na pesquisa anterior, Aécio liderava por 51% a 49%. Para cientistas políticos, a subida da petista pode ser consequência da tática de desconstrução do adversário que ela adota, incluindo críticas à gestão do tucano em Minas. Para eles, porém, o quadro ainda não está consolidado. (Pág. 3)

Dilma ‘premiou’ tesoureiro do PT com Itaipu

Foi a presidente Dilma, então ministra de Minas e Energia, quem nomeou, em 2003, o hoje tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, para o conselho de Itaipu. Vaccari é acusado de opera r o esquema de propinas na Petrobras para o PT. Ele queria a CEF, mas vir ou conselheiro de Itaipu. (Pág. 7)

Candidatos duelam agora sobre a seca

O candidato Aécio Neves acusou o governo federal de não ter apoiado São Paulo na grave crise de abastecimento de água do estado. Em reação, Dilma Rousseff afirmou estranhar que o PSDB responsabilize a União, pois disse que ofereceu ajuda aos paulistas. (Pág. 6)

Ibope: Pezão tem 46% e Crivella, 36%

Nos votos válidos, vantagem do governador e candidato à reeleição pelo PMDB sobre o adversário do PRB passa de oito para 12 pontos, segundo o instituto (Pág. 4)

Foto-legenda

NO RIO, PETISTA VAI DE CRIVELLA E GAROTINHO A PEZÃO

Dilma percorreu bairro de Nova Iguaçu com Crivella, ao lado de Garotinho e Lindbergh; depois, foi a ato com Pezão na Zona Oeste da capital. (Pág. 5)

EM MINAS, TUCANO SEGUE TRILHA DO AVÔ TANCREDO

Em visita ao Santuário Nossa Senhora da Piedade, em Caeté, que Tancredo costuma va frequentar antes das campanhas eleitorais, Aécio prometeu “guerra” à inflação . (Pág. 6)

Estiagem eleva preços de alimentos

A falta de chuvas no Sudeste e no Centro-Oeste pressiona os preços de café e carne e está atrasando o plantio da soja. A safra de cana-de-açúcar deve ter uma perda de 50%. Analistas estimam que, nos últimos 30 dias, os preços dos alimentos no varejo subiram 0,83%. (Pág. 21)

Dirceu pede prisão domiciliar

Condenado pelo mensalão, o ex-ministro José Dirceu pediu ontem ao STF para passar a cumprir pena em casa. O petista deve obter o benefício, mas só após a eleição. (Pág. 9)

Nigéria derrota epidemia de ebola

Enquanto Libéria, Serra Leoa e Guiné lutam contra uma crescente epidemia, a Nigéria foi declarada pela OMS livre do vírus do ebola. Nos EUA, 42 saem da quarentena. (Pág. 27)

Ilimar Franco

Uma semana de vida ou morte

Os tucanos receberam a pesquisa Datafolha como uma ducha de água fria. Eles avaliam que sua divulgação no “Jornal Nacional” pode ter efeito multiplicador. Ontem, durante duas horas, o comando da candidatura Aécio Neves se debruçou sobre os números. O estresse é grande e até os métodos usados pelos institutos de pesquisa estão no pelourinho. (Pág. 2)

Merval Pereira

Com quadro indefinido, último debate ganha relevância. (Pág. 4)

Míriam Leitão

Governos de PSDB e PT recuperaram salário mínimo. (Pág. 22)

------------------------------------------------------------------------------------

Zero Hora


Manchete : A Polícia pede segurança

Após assassinato de soldado da BM fardado dentro do ônibus na Capital, categoria quer mudança da lei que prevê uso de uniforme para garantir gratuidade no transporte. (Notícias |19)

Temporal atingiu 5 mil famílias em 30 cidades

Defesa Civil recolhe materiais de construção e donativos para quem teve perdas com vento e granizo dos últimos dias no Rio Grande do Sul. (Notícias |17)

------------------------------------------------------------------------------------

Brasil Econômico


Manchete : Eneva faz acordo com credores e adia recuperação judicial

Com uma dívida de R$ 5 bilhões e caixa de R$ 87,7 milhões até junho, a empresa criada por Eike Batista e hoje controlada pela alemã E.ON anunciou a suspensão de pagamentos para BNDES, BTG Pactual, Citibank, HSBC e Itaú Unibanco. Com o acordo, a companhia energética ganha tempo para concluir processo de capitalização de R$ 1,5 bilhão e pôr em operação uma segunda térmica no Maranhão, com potência de 517 MW. (Pág. 13)

Dilma passa Aécio, mas empate fica

Pesquisa do Datafolha mostra a petista com 52% das intenções de voto e o tucano com 48%. O mercado pisou no freio. Os pregões, diz o colunista Luiz Sergio Guimarães, só atraem agora os jogadores viciados em roleta. (Págs. 3 , 21 e 22)

Indexação informal cresce no país, dizem especialistas

Segundo economistas, persistência da inflação de serviços é sinal de correção de preços com índices passados. (Pág. 8)

Aquisições e fusões melhoram

Pesquisa aponta que 48% dos empresários brasileiros apostam em compras ou junção de negócios com outras empresas para crescer. Média mundial é de 40%, melhor resultado em três anos, o que deve gerar consolidação. (Pág. 9)

Mosaico Político

Gilberto Nascimento

TRÉGUA PARA ELEVAR O NÍVEL

Tanto a presidenta Dilma Rousseff (PT) quanto o senador Aécio Neves (PSDB) evitaram os ataques pessoais no debate da TV Record, na noite de domingo, para não afastar eleitores indecisos, em torno de 15% a 20% dos votantes no próximo domingo. (Pág. 2)

O mercado como ele é...

Luiz Sérgio Guimarães

INDEFINIÇÃO EMPACA GIRO

Já era esperada uma retração do giro de negócios nos mercados de câmbio e juros nesta reta de chegada das eleições 2014. Mas os volumes negociados ontem nos dois segmentos assustaram pela magreza doentia. (Pág. 21)

Ponto Final

Octávio Costa

EM BUSCA DO ELEITOR INDECISO

Saíram as novas pesquisas, mas não ajudaram muito. O páreo da sucessão presidencial continua muito difícil com chegada imprevisível. Na metáfora automobilística do cientista político Fernando Abrucio, a petista Dilma Rousseff e o tucano Aécio Neves têm de pilotar com o máximo cuidado até a última curva. (Pág. 32)

------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo


Manchete : Dilma atinge 52% e Aécio tem 48%, aponta Datafolha

Cenário é de empate técnico entre petista e tucano, no limite da margem de erro da pesquisa

Pela primeira vez no segundo turno, Dilma Rousseff (PT) aparece numericamente à frente de Aécio Neves (PSDB) na disputa pela Presidência, mostra o Datafolha. A petista tem 52%, e o tucano, 48% dos votos válidos. Os números representam empate técnico no limite máximo da margem de erro, de dois pontos para mais ou para menos. Nas duas rodadas anteriores, também com empate técnico, Aécio esteve à frente, com 51% a 49%. Em votos totais, o resultado da pesquisa realizada pelo Datafolha nesta segunda-feira (20) mostra Dilma com 46% e Aécio com 43%. Brancos e nulos somam 5%. Outros 6% afirmam que não sabem em quem votar. Um fator que explica o número mais alto para Dilma é a melhoria da avaliação do seu governo — 42% julgam sua gestão boa ou ótima. Esse é o melhor patamar desde junho de 2013, mês dos grandes protestos de rua. Aécio se saiu melhor no debate da Record para 22%. Para 16%, foi Dilma, diz o Datafolha. (Eleições 2014 Pág. 1)

ANÁLISE

Nada se compara aos cinco pontos que Dilma ganhou na região Sudeste, escrevem Mauro Paulino e Alessandro Janoni. (Pág. 3)

Estado de SP tem ‘cinturão da seca’

Levantamento da Folha mostra que ao menos 57 municípios do Estado de São Paulo têm passado por interrupção de abastecimento de água. Nesses municípios moram cerca de 22 milhões de pessoas, o equivalente a 50% da população estadual. A crise hídrica afeta região que vai da capital ao Triângulo Mineiro. Na Grande São Paulo, um dos principais motivos pela crise é a queda do nível de água no Sistema Cantareira, que chegou ao volume mínimo de 3,5% nesta segunda (20). A Sabesp, empresa do governo Alckmin (PSDB) que atende 363 dos 645 municípios do Estado, afirma que não faz racionamento. A medida foi oficialmente adotada por 16 cidades, em que a gestão da água é feita pelas prefeituras. (Cotidiano C1)

Cúpula da segurança do AM negociou votos com preso

Uma gravação mostra o subsecretário de Justiça do Amazonas, major Carliomar Brandão, negociando com líder de facção criminosa preso apoio ao governador José Melo (Pros). O traficante promete 100 mil votos a Melo para que ele não os “prejudique”. O governo exonerou Brandão e disse que vai investigar. (Eleições 2014 Pág. 7)

Dirceu pede para cumprir o resto da pena em casa

O ex-ministro José Dirceu enviou ao STF pedido para cumprir o resto da pena em casa, em regime aberto. Hoje ele está no semiaberto — trabalha fora durante o dia, mas dorme na prisão. Dirceu abateu 142 dias da pena e chegou a um sexto da sentença. O ministro Luís Roberto Barroso não fixou prazo para a medida. (Poder A5)

BB dribla regra para emprestar a amiga de seu presidente

A partir do BNDES, o Banco do Brasil concedeu empréstimo de R$ 2,7 milhões à apresentadora de TV Val Marchiori. Amiga do presidente do BB, Aldemir Bendine, Marchiori tinha restrição de crédito por não ter pagado financiamento anterior. Os dois bancos afirmam que as normas foram respeitadas. Procurada, Marchiori não foi encontrada. (Poder A4)

Plano de educação de tucano custaria 5 vezes o Bolsa Família

Programa do tucano Aécio Neves para a educação, que prevê pagamento de um salário mínimo para que jovem volte a estudar , custaria cinco vezes o Bolsa Família. Se contemplasse todos os jovens de 18 a 29 anos, a despesa anual seria de R$ 136 bilhões. Campanha diz que a meta é atender em dez anos. (Eleições 2014 Pág. 5)

Sem novos casos, Nigéria é declarada área livre de ebola (Mundo A12)


Editoriais

Leia “Retrocesso evidente”, sobre como candidatos lidam com a transparência, e “Mudança de ritmo global”, acerca de incertezas da economia. (Opinião A2)

------------------------------------------------------------------------------------