SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS

Sinopses anteriores:

24 de abril de 2014

Correio Braziliense


Manchete: O último a sair apague a luz

Três dos cinco conselheiros da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) renunciam ao cargo após a instituição, a mando do governo, aprovar empréstimo de R$ 11,2 bilhões para socorrer distribuidoras em crise.

O inesperado protesto dos três executivos, que consideraram a operação arbitrária e arriscada, ocorre num momento em que o Brasil enfrenta um crescente risco de apagão e reflete o descontentamento quase generalizado no setor elétrico. Devido à manobra do governo, que empurrou o aumento da conta de luz para depois das eleições, os 4 mil associados da CCEE terão de assumir o financiamento inédito destinado a cobrir rombo no caixa de 40 distribuidoras de energia no país. Diante da rebelião, a diretoria da CCEE ressaltou que a decisão foi aprovada por 87% dos presentes em assembleia geral. Mas críticos do empréstimo dizem que houve interferência do Planalto, que teria mobilizado os votos de estatais federais para aprovar a tomada de crédito. (Págs. 1 e 8)


Suplemento ilegal dava lucro real

Uma dentista do Exército foi presa por fabricar clandestinamente complementos alimentares no Riacho Fundo. O marido dela é procurado pela polícia. O produto era vendido na internet e para hospitais do DF. (Págs. 1 e 19)


Saúde: Planos vão repor médicos e hospitais

Câmara aprova projeto que obriga os convênios a substituir imediatamente profissionais e serviços que deixarem o convênio. A proposta deve ser sancionada pela presidente Dilma. (Págs. 1 e 11)


CPI vai investigar somente a Petrobras

Como queria a oposição, a ministra Rosa Weber, do STF, determinou ontem a instalação de uma CPI no Senado para apurar exclusivamente denúncias relativas à estatal. A decisão tem caráter provisório, pois o mérito da questão ainda será julgado pelo plenário do Supremo. A base governista defendia que as investigações incluíssem o metrô de São Paulo e o Porto de Suape, em Pernambuco. (Págs. 1 e 2 e 3)

Envolvido no caso Galdino será policial

Um dos jovens que mataram o índio, queimado vivo enquanto dormia, foi aprovado em concurso da Polícia Civil do DF. À época, o acusado tinha 17 anos e cumpriu medida sócio educativa. Juristas divergem quanto à posse no serviço público. O caso pode virar uma guerra jurídica. (Págs. 1 e 23)

Com a cota racial menor, UNB lança o vestibular (Págs. 1 e 24)


Fatah e Hamas fazem as pazes e desafiam Israel (Págs. 1 e 14)


Agricultura não tem como deter preços, diz ministro (Págs. 1 e 9 e visão do correio, 12)


------------------------------------------------------------------------------------

Zero Hora


Manchete: Operação lava-jato: Doleiro apontado como chefe de fraude vira réu

Alberto Youssef foi descrito pelo Ministério Público Federal como o líder de rede de lavagem de dinheiro que teria movimentado R$ 10 bilhões, segundo a PF. (Págs. 1 e 6)

Petrobras: Ministra do STF decide que CPI deve ser exclusiva

Rosa Weber acatou pedido da oposição, mas última palavra sobre abrangência de comissão será do pleno. (Págs. 1 e 6)

Salgado Filho: Terminal ampliado só no final de 2016

Sucessivos atrasos em obra levam Infraero a cogitar suspensão de contrato com construtora catarinense. (Págs. 1 e 18)


Temporárias: Fifa ensaia bancar parte de estruturas

Entidade deve investir no Beira-Rio caso captação de R$ 25 milhões não dê certo. (Págs.1 e 48)

------------------------------------------------------------------------------------

Brasil Econômico


Manchete: Divergência provoca desmonte de conselho da CCEE

Um dia após a aprovação do financiamento de R$ 11,2 bilhões para socorrer as distribuidoras, a Câmara Comercializadora de Energia Elétrica perdeu três dos cinco representantes do seu conselho de administração. A entidade alega questões pessoais para a saída, mas no mercado a informação é que os executivos não concordam com o modelo imposto pelo governo. (Págs. 1 e 8)

Usinas de açúcar na UTI

A produção de cana, que representa 54% do agronegócio paulista, enfrenta uma das suas piores crises. Segundo a presidente da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), Elisabeth Farina, até o fim da safra, 10 usinas vão fechar. (Págs. 1 e 8)

Internet: Especialistas apoiam, mas fazem ressalvas a marco

A guarda de dados de navegação por um ano é o principal alvo de críticas, pela possibilidade de exposição da intimidade e violação da privacidade dos usuários. O acesso às informações só pode ser obtido pela Justiça, mas analistas temem abusos como os dos grampos de telefones. (Págs. 1, 6 e 7)

Eleição: Pezão: ‘Serei o maior defensor de Dilma’

Candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PMDB, Luiz Fernando Pezão garante que o partido não está dividido no apoio à presidenta, que deverá estar ao seu lado em inaugurações de obras por todo o estado. (Págs. 1 e 3)

Seguros: Em 2013 setor cresceu 15%, estima presidente da CNseg, Marco Antônio Rossi (Págs. 1, 16 e 17)


------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo


Manchete: Justiça Federal torna réu doleiro ligado a petista

Youssef é acusado de remessas ilegais de dólares; advogado nega crime

A Justiça Federal do Paraná aceitou denúncia (acusação formal) que o Ministério Público apresentou contra o doleiro Alberto Youssef e outros investigados na Operação Lava Jato, realizada pela Polícia Federal. Com isso, eles se tornaram réus.

Youssef e seis laranjas que emprestaram seus nomes para negócios de remessa e recebimento de dólares apontados como ilícitos vão responder por lavagem de dinheiro, evasão de divisas e formação de quadrilha, entre outros crimes.

O doleiro, que está preso e é ligado ao ex-vice-presidente da Câmara André Vargas (PT-PR), é acusado de ter remetido US$ 444,7 milhões de forma fraudulenta. A Justiça aceitou ainda uma segunda denúncia, contra auxiliar do doleiro.

Advogado negou que Youssef tenha feito remessa ilegal. A Justiça decidirá sobre mais três denúncias. Uma delas, contra o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, acusado, ao lado de parentes, de tentar destruir provas. (Págs. 1 e Poder A4)

Denúncia ‘informal’ baseou pedido de dados do Planalto

A promotora Márcia Milhomens, que investiga suposto telefonema do petista José Dirceu a partir do presídio da Papuda, afirmou ao STF que o pedido de rastreamento de ligações do Palácio do Planalto surgiu de depoimentos em “caráter informal”. Milhomens não deu mais detalhes. (Págs. 1 e Poder A8)

Extraditar Pizzolato é possível, afirma promotoria da Itália

O Ministério Público italiano informou que a extradição de Henrique Pizzolato é “juridicamente possível”.

Condenado no mensalão, o ex-diretor do Banco do Brasil fugiu do país e foi preso na Itália em fevereiro. Segundo parecer do procurador, os crimes pelos quais ele foi condenado no Brasil são previstos na Itália. (Págs. 1 e Poder A11)

Clóvis Rossi: Divulgar papéis da ditadura ajudaria a elucidar morte de JK

As comissões da verdade chegaram a duas “verdades”, opostas, sobre a morte de JK, o que significa que uma é falsa. O Brasil deveria imitar a Itália e divulgar todos os papéis sobre a ditadura. Só isso levaria à verdade. (Págs. 1 e Mundo A20)

Dilma usa evento global para assinar lei da internet

A presidente Dilma sancionou o Marco Civil da Internet em encontro com líderes de 85 países sobre a governança da rede, em estratégia para explorar politicamente o evento. A ação visa a ganhar pontos entre jovens usuários de redes sociais, grupo em que rivais de Dilma têm maior presença.

A exploração política do evento constrangeu representantes alemães. (Págs. 1 e Poder A10)

Governo prepara projeto para liberar aeroportos privados com regras mínimas (Págs. 1 e Mercado 1 B1)


Fotolegenda: No grito

Guarda usa spray de pimenta contra sem-teto que invadiram a Câmara de SP para pressionar por mais moradias populares; comissão aprovou Plano Diretor (Págs. 1 e Cotidiano C5)

Editoriais

Leia “Internet civilizada”, acerca de aprovação de Marco Civil da rede no país, e “Serviço indigente”, sobre burocracia para localizar desaparecidos. (Págs. 1 e Opinião A2)

------------------------------------------------------------------------------------