SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS

Sinopses anteriores:

19 de abril de 2015

O Globo


Manchetes: Petrobras escondeu US$ 8 bi da fiscalização

TCU afirma que registros financeiros do complexo são inconsistentes

Estatal informou despesa de US$ 13,5 bi em 2014, mas tribunal constatou que gasto era de US$ 21,6 bi

A Petrobras ocultou de seus investidores e órgãos de fiscalização, inclusive dos EUA, despesas de US$ 8,1 bilhões no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), constatou o Tribunal de Contas da União (TCU), com base em dados da própria estatal. O tribunal diz que os registros financeiros do projeto são "desconexos" e "inconsistentes", revelam José Casado, Bruno Rosa e Ramona Ordonez na primeira de uma série de reportagens sobre os problemas gerenciais num dos maiores empreendimentos da estatal e as consequências devastadoras que a paralisação das obras causou na região de Itaboraí. (Págs. 1, 3 e 4 e Elio Gaspari)

A esperança nos olhos-d’água

Depois de plantar uma floresta em Minas que hoje ocupa 700 hectares, o Instituto Terra, fundado por Lélia e Sebastião Salgado, planeja agora algo ainda mais ambicioso: proteger todas as nascentes do Vale do Rio Doce, cercando cada um dos 375 mil olhos-d'água do rio e de seus afluentes, informa Míriam Leitão. O projeto está previsto para durar 30 anos e terá um custo de RS 2,5 bilhões. (Págs. 1, 38 e 39)

'Pedaladas' fiscais - Ministro do TCU diz que Dilma pode ser responsabilizada (Págs. 1 e 9)


Colunas e Artigos

FERNANDO GABEIRA
Levy e PMDB trabalham, e o PT hiberna. (Pág. 1 e Segundo Caderno)

CACÁ DIEGUES
"Se eu fosse você, minha senhora, governava." (Págs. 1 e 15)

FREJAT E LEONI
"Acendeu a luz vermelha do direito autoral." (Págs. 1 e 38)

Samuel Pessôa

É difícil entender gritaria contra a terceirização

O projeto de lei nº 4.330/04, em tramitação na Câmara, representa importante item na modernização das relações trabalhistas e visa aumentar a eficiência produtiva de nossa economia. Os cuidados para evitar abusos foram tomados. Difícil entender o grito contra essa possibilidade. (Pág. 1 e Mercado B6)

------------------------------------------------------------------------------------

Veja


Manchetes: Espécie em extinção?

Dois tesoureiros presos, um ex-presidente acuado, uma presidente que terceirizou o poder, bancadas parlamentares envergonhadas e um escândalo atrás do outro. Nem o PT resiste. (Pág. 1)

Filhos

Um especialista diz que o erro dos pais é achar que disciplina é punição. (Pág. 1)

------------------------------------------------------------------------------------

Época


Manchetes: Os papéis secretos de Palocci

Sem comprovar qualquer serviço e até sem contrato, a consultoria do petista recebeu milhões quando ele coordenava a campanha de Dilma Rousseff em 2010. (Pág. 1)

Gasparzinho

A incrível história da sociedade entre um líder do PMDB e um defunto. (Pág. 1)


Scooby-doo

O PSDB finalmente começa a latir. Mas será que ele morde? (Pág. 1)

Oposição mira o impeachment

Bloco de partidos se une na ofensiva ao governo. (Pág. 1)

------------------------------------------------------------------------------------

ISTOÉ


Manchetes: Vaccari, o tesoureiro - 10 anos de corrupção

Por uma década ele desviou dinheiro para os cofres do PT, segundo investigações da Lava Jato. Agora sua prisão compromete o partido e aproxima o escândalo do Petrolão da presidente Dilma. (Pág. 1)

------------------------------------------------------------------------------------

ISTOÉ Dinheiro


Manchetes: As marcas mais valiosas do Brasil

Skol é tricampeã e Facebook chega ao topo do ranking Dinheiro/Millward Brown Vermeer das marcas mais poderosas do país. Conheça as 70 vencedoras e saiba como fortalecer a identidade de seu negócio em tempos de crise. (Pág. 1)

------------------------------------------------------------------------------------

Carta Capital


Manchetes: O efeito Vaccari

A prisão do tesoureiro do PT reacende a campanha pelo impeachment de Dilma Rousseff. (Pág. 1)

Terceirização

As ruas derrotam Eduardo Cunha e adiam a votação da lei. (Pág. 1)

Carlos Lessa

O economista critica o plano de venda de ativos da Petrobras. (Pág. 1)

Cúpula das Américas

Obama perde a chance de faturar no acordo com Cuba. (Pág. 1)

------------------------------------------------------------------------------------

Zero Hora


Manchetes: Depósitos judiciais - Saques afundam ainda mais as contas do Estado

Uso de recursos de terceiros depositados na Justiça vira prática comum de governadores. Dívida chega a R$ 8,3 bilhões, e só em 2015 Sartori terá de pagar R$ 1 bilhão em juros. (Págs. 1 e Notícias 12 a 15)

As empresas que superaram outras crises

Série vai mostrar histórias de pessoas, setores, companhias e iniciativas de sucesso no Estado. (Págs. 1 e Notícias 16 e 17)

------------------------------------------------------------------------------------

O Globo


Consultoria de políticos na mira da Lava-Jato

Ministério Público Federal e PF querem devassar contratos de consultoria firmados entre políticos e empresas, como os de Palocci e Dirceu, para saber se os serviços foram prestados ou se houve lavagem de dinheiro. (Págs. 1 e 5)

Efeito colateral - Crise derruba emprego no Estado do Rio

A desaceleração da economia e os efeitos da Operação Lava-Jato já afetam o mercado de trabalho do estado.

A Região Metropolitana do Rio foi responsável por quase metade do corte de vagas formais no país. (Págs. 1, 33 e 34)

A volta às concessões

Em Washington, Joaquim Levy anunciou que o governo lançará, em maio, pacote de licitações para infraestrutura. (Págs. 1 e 37)

Camargo Corrêa pagou propina de R$ 110 mi, diz vice

Em acordo de delação premiada, o vice-presidente licenciado da Camargo Corrêa, Eduardo Leite, disse que a empreiteira pagou R$ 110 milhões em propina para fechar contratos com a Petrobras entre 2007 e 2012. Ele declarou que a cúpula da empresa sabia da prática. (Pág. 1 e Poder A5)

Mônica Bergamo

Não acredito na política, diz ator Marco Nanini. (Pág. 1 e Ilustrada E2)

------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo


Manchetes: Indefinição de Dilma emperra atuação de agências reguladoras

Falta de nomeação de gestores trava órgãos e dá margem a contestação judicial de decisões de interinos, diz TCU

A demora da presidente Dilma em indicar gestores para agências reguladoras tem feito algumas delas suspenderem ou adiarem decisões. Medidas tomadas por interinos ainda dão margem para contestações na Justiça.

Essas autarquias devem, entre outras funções, fiscalizar e regular serviços públicos (como luz, água, telefonia, saúde) a cargo de empresas privadas, rever ajustes na tarifa e coibir abusos.

Com buracos no quadro de gestores, funcionam amparadas por decretos presidenciais e brechas criadas nos regimentos internos. Na Agência Nacional de Transportes Terrestres, dirigentes interinos atuam desde 2012.

O Tribunal de Contas da União identificou que decisões não têm sido tomadas por falta de quórum. O TCU diz também que atos de interinos podem ser invalidados porque esses nomes não foram avalizados pelo Senado.

Procurada, a Casa Civil nega improvisos, atribui o atraso às eleições de 2014 e afirma que as nomeações devem sair neste mês. (Pág. 1 e Mercado B1)

Ilustríssima

Relatos de armênios reforçam luta por reconhecimento de genocídio ocorrido há cem anos. (Págs. 1 e 4)

Para EUA, ida de presidente reforçará elos entre os países

Os EUA querem aproveitar a visita da presidente Dilma em junho para retomar acordos bilaterais congelados desde um escândalo de espionagem em 2013, relata Ricardo Zúniga, do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, a Patrícia Campos Mello. Defesa e aviação civil estão entre as áreas prioritárias. (Pág. 1 e Mundo A14)

Feirão da Lava Jato

Com dívidas bilionárias, empreiteiras envolvidas no petrolão promoverem uma espécie de feirão de concessões de aeroportos, rodovias e estaleiros. As ofertas atraem grupos estrangeiros e nacionais. O aeroporto de Guarulhos (SP) é um dos que estão à venda. (Pág. 1 e Mercado B3)

Editoriais

Leia "Sem passo atrás", sobre responsabilização por manobras fiscais, e "Planejar e garantir", acerca de fornecimento de água para o interior de SP. (Pág. 1 e Opinião A2)

------------------------------------------------------------------------------------