SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS

Sinopses anteriores:

25 de outubro de 2014

Zero Hora


Manchete: Os dois no ataque

Aécio (PSDB) e Dilma (PT) fizeram o último debate, ontem, no mesmo tom em que se enfrentaram durante o segundo turno: com provocações, acusações e tentativas de desqualificar o adversário.

Planalto: 10 momentos que marcam a corrida pela presidência

Piratini: No Ibope, Sartori aparece com 53% e Tarso com 37%

Guia do eleitor: O que pode e o que não pode no dia da votação (Págs. 1, 6 a 20)

PF investiga gerentes do BB no caso Pronaf

Seis ex-funcionários do banco são suspeitos de participação em fraude com empréstimos. (Págs. 1 e 23)


Novo impasse ameaça o polo naval do Jacuí (Págs. 1 e 24)


------------------------------------------------------------------------------------

O globo


Manchete: Rio e SP chegam à reta final em lados opostos

Aécio lidera entre paulistas, e Dilma tem preferência dos fluminenses

Tucano conseguiu 22 pontos de vantagem no eleitorado de São Paulo, mas entre os do Rio é a petista que abriu distância de 18 pontos, puxada por eleitores de meia-idade, com ensino fundamental e renda de até 2 mínimos

A um dia da eleição presidencial mais disputada dos últimos 25 anos, Rio e Sào Paulo têm comportamentos opostos: enquanto Aécio Neves (PSDB) abriu 22 pontos de vantagem em relação à presidente Dilma Rousseff (PT) no eleitorado paulista (o maior do país), a petista saiu de um empate técnico e tem 18 pontos à frente do tucano entre os eleitores fluminenses. Em Minas, segundo colégio eleitoral do Brasil (à frente do Rio), há empate técnico. Já na Região Sul, os institutos divergem: o Ibope aponta empato técnico, enquanto o Datafolha dá 14 pontos de vantagem para Aécio. No Rio, segundo o Ibope, a subida de Dilma foi puxado por eleitores de meia-idade (35 a 54 anos), com ensino fundamental e renda familiar de até dois salários mínimos. Para analistas, o palanque duplo (Pezão e Crivella apoiam a presidente) contribuiu.(Págs. 1, 3 e 4)

Denúncia de doleiro vira guerra eleitoral

Dilma e Aécio falaram no horário eleitoral da denúncia do doleiro Alberto Youssef, publicada pela “ Veja" de que a presidente e Lula sabiam da corrupção na Petrobras. A petista acusou a revista de terrorismo e se disse vítima de infâmia. O tucano disse que a denúncia é "extremamente grave" e acusou Dilma de censura por tentar, no TSE, proibir a reportagem. (Págs. 1 e 8)

Horário de verão atrasará anúncio do eleito pelo TSE

Devido à diferença de três horas entre Acre e Brasília, o nome do presidente eleito só será anunciado após as 20h de amanhã. (Págs. 1 e 7)


Sabesp diz ter tido ordem superior na crise da água

Gravação mostra que a presidente da Sabesp, Dilma Pena, disse que recebeu ordens superiores para não orientar a população a economizar água em SP: “Foi um erro." (Págs. 1 e 15)

Déficit externo bate recorde

Com a piora nas exportações e um aumento nos gastos com serviços lá fora, o Brasil teve déficit de US$ 7,9 bilhões nas contas externas em setembro, no pior resultado para o mês desde 1947. O número ficou bem acima do previsto pelo mercado e pelo próprio Banco Central, que estimava rombo de US$ 6,7 bilhões. (Págs. 1 e 30)

Bolsa registra pior semana em 2 anos

Mesmo após subir 2,42% ontem, a Bolsa de Valores fechou a semana em queda de 6,79%, no pior resultado desde maio de 2012. AS corretoras esperam forte volatilidade segunda-feira e, por isso, estão exigindo mais garantias dos clientes. (Pags. 1 e 29)

Itaboraí tem licitação suspensa

Numa batalha judicial com a prefeitura de Itaboraí, a Cedae conseguiu suspender a concessão do serviço à iniciativa privada que prevê R$ 461,5 milhões de investimentos em 35 anos. (Págs. 1 e 23)

Brasileiros se exercitam mais

Um em cada três brasileiros se exercita, um aumento de 12% em relação a cinco anos atrás, segundo o Ministério da Saúde. Musculação já é mais popular que o futebol. (Págs. 1 e 32)

Merval Pereira: País que sairá das urnas estará dividido. (Págs. 1 e 4)


Miriam Leitão: Instituições de Estado foram capturadas pelo governo (Págs. 1 e 30)


Ancelmo Gois: Ás vésperas da eleição, preços sobem na Ceasa. (Págs. 1 e 26)


Ilimar Franco: Cúpula do DEM pretende acabar com o partido. (Págs. 1 e 2)


Zuenir Ventura: Vai ser difícil curar as feridas abertas na campanha (Págs. 1 e 21)


Guilherme Fiuza: Carioca crê no falso confronto entre esquerda boa e direita má (Págs. 1 e 20)


Arnaldo Bloch: Chegamos ao dia D envoltos na nuvem do maniqueismo (Pág. 1 e Segundo Caderno)


------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo


Manchete: Doleiro acusa Lula e Dilma, que fala em terror eleitoral

Ambos sabiam de desvios na Petrobras, diz delator; para Aécio, pode ser prova de caixa dois

A presidente Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, e o ex-presidente Lula sabiam do esquema de desvio de dinheiro nos contratos na Petrobras, afirmou à PF e à Promotoria o doleiro Alberto Youssef, em processo de delação premiada.

Youssef é um dos réus da Operação Lava Jato, que investiga denúncias de lavagem de dinheiro na estatal.

A informação foi publicada pela revista “Veja”, e Dilma classificou o caso, divulgado a dois dias da eleição, como “terrorismo eleitoral”.

A revista, afirmou a petista no último dia de propaganda na TV, não apresentou “prova concreta” que a relacionasse ao escândalo na Petrobras. “Eu darei a resposta na Justiça.” Questionado sobre o caso, Lula declarou não ler a “Veja”.

Em nota, a revista disse que a presidente “centrou suas críticas no mensageiro, quando o cerne do problema foi produzido pelos fatos degradantes na Petrobras”.

O candidato Aécio Neves (PSDB) considerou o caso “extremamente grave”.

Para o tucano, se houver comprovação do relato, “é a prova de que houve caixa dois” na campanha do PT.

A coligação de Dilma pediu à Justiça, sem sucesso, que fossem retiradas do Facebook menções à reportagem. (Págs. 1, 3 e 4)

Candidatos usam só 12% do tempo na TV para propostas

Os ataques se sobrepuseram às propostas e tornaram mais agressiva a campanha na TV no segundo turno. Nos 30 programas exibidos por cada presidenciável, só 12% do tempo do horário eleitoral foi usado para apresentar propostas — ante 20% no primeiro turno. Os ataques aumentaram de 17% do tempo para 25%. (Págs. 1 e 5)


Planos de candidatos se assemelham no social e se afastam na economia (Págs. 1, 8 e 9)


Em mensagens nas redes sociais, tucanos são mais anti-PT do que pró-Aécio. (Págs. 1 e 11)


Demétrio Magnoli: João Santana não ganha eleição para ninguém (Págs. 1 e 3)


André Singer: Discurso de posse deve ter medidas concretas (Págs. 1 e Opinião A2)


Babá de ministro da Venezuela é presa com arma no Brasil

A babá da família do ministro venezuelano Elias Jaua foi detida no aeroporto de Guarulhos. Ela carregava maleta com revólver e munição. Disse que a arma era do político. A mulher veio de Caracas com a sogra de Jaua em avião da estatal PDVSA. O governo venezuelano não se manifestou. (Pags. 1 e A18)

Chefe da Sabesp diz que "orientação superior" limitou alerta de crise

Em reunião da cúpula da Sabesp em julho, Dilma Pena, presidente da estatal, disse que uma “orientação superior” impediu a empresa de alertar incisivamente a população paulista sobre a necessidade de economizar água. O áudio, obtido pela Folha, foi gravado por um participante do encontro.

Paulo Massato, diretor da Sabesp, afirmou nessa reunião que a situação era uma “agonia” e que não saberia o que fazer se os volumes das chuvas neste ano repetissem o cenário de 2013.

Em nota, o governo Alckmin (PSDB) disse que não vetou qualquer alerta sobre a crise hídrica. (Págs. 1 e C1)

Editoriais

Leia “Diferenças externas”, acerca de programas de candidatos na área internacional, e “O labirinto do México”, sobre episódio de violência no país. (Págs. 1 e A2)

------------------------------------------------------------------------------------