SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS

Sinopses anteriores:

22 de novembro de 2014

O Globo


Manchete: Planalto vaza nomes, Bolsa sobe, mas Dilma não confirma

Levy é convidado para a Fazenda; Nelson Barbosa, para o Planejamento

Governo vai esperar aprovação da nova meta fiscal para fazer anúncio oficial. Nomes agradam ao mercado, e Bovespa sobe 5%, maior alta em três anos. Escolha de Kátia Abreu para a Agricultura irrita o PMDB.

Depois de declarar no começo de setembro que Guido Mantega não ficaria no cargo, a presidente Dilma escolheu a cúpula da equipe econômica, mas não divulgou oficialmente. Segundo fontes do Planalto, Joaquim Levy vai comandar a Fazenda, Nelson Barbosa foi convidado para o Planejamento. O senador Armando Monteiro (PTB-PE) será ministro do Desenvolvimento. O mercado reagiu bem, mas resistências políticas teriam adiado o anúncio oficial. Dilma quer a senadora Kátia Abreu (PMDB) na Agricultura, mas o convite abriu uma crise no PMDB, que agora, ameaça impedir a votação do projeto que muda amem fiscal. (Páginas 1 e 23 a 27)

Oposição reage a reformas de Obama

O Partido Republicano atacou a reforma da imigração, feita por decreto do presidente Obama, e anunciou que vai reagir no Congresso. Além disso, a oposição entrou na justiça contra parte do Obamacare, a reforma da saúde. (Páginas 1 e 33)

Miriam Leitão

Levy mudará o governo ou o gavemo mudará Levy? (Páginas 1 e 24)

Merval Pereira

Escolha de Levy representa avanço no quadro econômico. (Páginas 1 e 4)

Ilimar Franco

Resistência do PT a Levy pode ter adiado anúncio. (Páginas 1 e 2)

Área técnica foi contra compra da ‘Ruivinha’

"Ruivinha" porque estava toda enferrujada. Assim a área técnica da Petrobras se referia a Refinaria de Pasadena, nos Estados Unidas, após uma inspeção no local, contou o diretor financeiro da estatal, Almir Barbassa, em depoimento à Comissão Interna de Apuração da empresa. Mesmo assim, disse Barbassa, a área internacional, na época comandada por Nestor Cerveró, insistiu na compra que, segundo a Petrobras já admitiu, deu prejuízo de US$ 530 milhões. (Páginas 1 e 3)

Lobista, Baiano diz que atua com a estatal desde 2000

O lobista Fernando Baiano disse a PF; que começou a negociar com a Petrobras em 2000, no governo FH. A Justiça o manterá preso porque há indícios contra ele em fraudes e lavagem de dinheiro. (Páginas 1 e 7)

------------------------------------------------------------------------------------

Zero Hora


Manchete: Anúncio adiado, mas nomes de equipe vazam

Apesar de o governo Dilma ter cancelado a divulgação dos ministros
da área econômica, os mais cotados são Joaquim Levy para a Fazenda e Nelson Barbosa no Planejamento. (Páginas 1 e Notícias 12, 14, 25 e 26)

Operação Lava-jato

Indústria gaúcha pagou consultoria a doleiro lobista preso que nega ser o operador do PMDB(Páginas 1 e 16 a 10)

------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo


Manchete: Dilma convida Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda

Bolsa sobe, e dólar cai, com expectativa de anúncio da nova equipe econômica para o próximo ano

A presidente Dilma Rousseff chamou Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda e Nelson Barbosa para o Planejamento. O presidente do Banco Central. Alexandre Tombini, foi convidado a permanecer no posto. Os três aceitaram os convites.

O mercado reagiu bem à informação do convite a Levy. Nesta sexta feira (21), a Bolsa subiu 5%, e o dólar caiu 2%. Após o fechamento dos mercados, o Planalto informou que não divulgaria mais ontem os nomes da nova equipe econômica.

Houve reação de setores do PT e do governo. Pessoas ligadas ao ministro Aloizio Mercadame (Casa Civil) disseram que Levy seria próximo do PSDB e de Armínio Fraga, presidente do BC na gestão FHC e que seria ministro de Aécio Neves.

Assessores dizem que Dilma quer divulgar na quinta (27) um “pacote completo”, com nomes para bancos públicos e outras pastas. Armando Monteiro (PTB) deve ir para o Desenvolvimento, e Kátia Abreu (PMDB), para a Agricultura. (Páginas 1 e Mercado Bl)

Vinícius Torres Freire

Nomes lançados pelo Planalto são um plano de paz com o mercado
(Páginas 1 e Mercado B3)

Governo federal revisa números sobre superavit

O governo federal reduziu de RS 80.8 bilhões para RS 10,1 bilhões a poupança para abater dívida pública.
Relatório bimestral revisou o avanço previsto do PIB em 2014 de 0,9% a 0.5%. e em 2015, de 3% a 2%. O mercado prevê 0,2% e 0,8%, respectivamente. (Páginas 1 e Mercado B3)

Procuradoria pede veto para empreiteiras em novas licitações

O Ministério Público pediu ao TCU (Tribunal de Contas da União) que impeça oito das principais em presas de construção civil do país de participar de licitações ou fechar contratos com a administração pública federal por um prazo de até cinco anos.
O pedido pela declaração de inidoneidade é consequência das apurações da Operação Lava Jato. (Páginas 1 e Poder A4)

Sem-teto invadem prédio reservado a outros sem-teto (Página 1)


Vinícius Mota

Indicado é quadro mais apropriado que Trabuco
Com farta experiência no setor público e, convicção mercadista, Joaquim Levy é um quadro mais apropriado do que o banqueiro-mor do Bradesco, Luiz Trabuco, à inglória tarefa de pilotar a politica econômica brasileira no biênio 2015-16. (Página 1 e Mercado B4)

Editoriais

“A perder de vista”, sobre atrasos nos julgamentos de processos judiciais. e “Guerra fracassada”, a respeito de falência na repressão às drogas. (Páginas 1 e Opinião A2)

------------------------------------------------------------------------------------